Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Comunicação > Notícias - InforMMA
Início do conteúdo da página
 
Segunda, 13 Novembro 2017 19:30

Sarney Filho engaja sociedade pelo clima

Gilberto Soares/MMA
Reunião com a delegação brasileira

Ministro conduz reunião com delegação brasileira em conferência na Alemanha. Brasil, África do Sul, Índia e China alinham posições


LUCAS TOLENTINO
Enviado especial a Bonn

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, defendeu nesta segunda-feira (13/11) a participação de todos os setores da sociedade para que as políticas ambientais do país continuem a avançar. Em reunião com a delegação brasileira na 23ª Conferência das Partes (COP 23) sobre mudança do clima, Sarney Filho destacou a necessidade de articulação para que o país cumpra suas metas no contexto do Acordo de Paris, um esforço mundial para conter o aumento da temperatura média do planeta. A COP 23 ocorre até o fim desta semana em Bonn, na Alemanha.

O manejo florestal e os trabalhos desenvolvidos nas reservas extrativistas foram apontados pelo ministro como alternativas que, aliadas à fiscalização, serão capazes de conter o desmatamento. Para isso, segundo ele, é necessário que governos, iniciativa privada e terceiro setor articulem uma ação conjunta com foco em desenvolver uma economia sustentável de baixo carbono no país. "É fundamental o apoio da sociedade civil organizada e que a gente consiga unir nossos esforços nessa agenda", declarou Sarney Filho.

Os indígenas e povos tradicionais também ocupam papel central na ação climática. A primeira reunião de Sarney Filho na COP 23 foi com a delegação de indígenas brasileiros que acompanham as negociações em Bonn. No encontro, o ministro afirmou que o MMA apoiará a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas (PNGATI) e o aumento das brigadas indígenas de combate a incêndios florestais. Sarney Filho afirmou, ainda, que a criação de corredores ecológicos está entre as prioridades do órgão.

Ministro Sarney Filho se reúne com representantes dos povos indígenas (Foto: Gilberto Soares)

UNIFICAÇÃO

Os negociadores de mais de 190 países se debruçam, em Bonn, sobre a construção do livro de regras para a implementação do Acordo de Paris. Questões ligadas a esse processo foram discutidas nesta segunda-feira (13/11) em reunião entre Brasil, África do Sul, Índia e China, que formam o grupo de articulação conhecido como BASIC. Os quatro estão entre os principais países em desenvolvimento do mundo. "A unificação de nossas posições influencia de maneira positiva o enfrentamento ao aquecimento global", declarou o ministro.

O grupo conclui declaração conjunta que reúne os posicionamento sobre os principais pontos em pauta na COP 23. O documento inclui a visão do BASIC sobre temas como financiamento, transparência e os diálogos facilitativos que deverão ocorrer em 2018, prazo limite para a conclusão do livro de regras de implementação do Acordo de Paris. "É uma visão comum, somos todos grande economias e estamos preocupados com questões comuns como erradicação da pobreza e segurança alimentar", exemplificou o subsecretário-geral de Meio Ambiente do Itamaraty, José Antônio Marcondes de Carvalho.

O BASIC considera o momento favorável para as economias emergentes. "Nesta COP, os países em desenvolvimento estão mostrando uma extraordinária unidade e precisamos fazer uso disso para avançar", avaliou o representante para mudança do clima da China, Xie Zhenhua. "Esse encontro é uma oportunidade chave para garantir o sucesso para os país", acrescentou a vice-ministra de Meio Ambiente da África do Sul, Barbara Thomson. "Precisamos combinar esforços para que os resultados sejam equitativos", concluiu o vice-ministro do Meio Ambiente da Índia, C. K. Mishra.

Reunião dos países que formam o BASIC (Foto: Gilberto Soares)

 


Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA)
(61) 2028-1227/ 1311/ 1437
imprensa@mma.gov.br



Fim do conteúdo da página